“Não deliremos”

Ontem, eu fiz o Tarô da lua cheia em Virgem. Para variar, as cartas me encheram de inspiração.

Aqui, eu quero falar um pouco mais sobre o conselho das cartas, que nos chegou pelo Arcano Maior, Imperador. Num período tão difícil e, para muitos de nós, doloroso, o que o grande dominador do Tarô tem a nos dizer?

Além do que eu já disse na live, penso ser importante ressaltar o modo como o Imperador pensa sobre as coisas à sua volta. Ele é pragmático. Procura ver tudo sem filtros emocionais, de maneira a poder tomar as melhores decisões. E como ele faz isto?

O bom imperador pensa no seu interesse e o combina ao interesse do seu povo. Ele está sempre cercado de conselheiros e busca extrair deles a melhor orientação. Hoje, mais do que nunca, precisamos nos posicionar humildemente, diante daquilo que não conhecemos bem. Aprender, neste jogo de Tarô da lua cheia, é uma ordem!

Por outro lado, a decisão final é tomada solidariamente. Lembro-me do conto, “O Rei à escuta”, do Italo Calvino. No conto, o palácio é visto como uma metáfora do nosso corpo. O autor debate sobre a nossa responsabilidade em reconhecer e atender as nossas próprias necessidades.

A certa altura do texto, lemos a seguinte passagem:
“Não deliremos. Tudo o que se ouve mexer no palácio corresponde às ordens que demos”.

Sendo assim, meus caros e caras, pode ter chegado a hora de analisarmos as ordens que temos dado a nós mesmos. Aonde elas nos tem levado? É este o lugar onde queríamos estar, ou chegou o momento de corrigirmos a rota e refletirmos sobre o destino que desejamos alcançar, daqui para frente?
.
.
Diga-me como você tem passado estes dias e como tem conseguido tomar decisões, diante de tantas incertezas.
.
Quando quiser obter uma ajuda das cartas, para compreender os desafios que o cercam, envie-me uma mensagem.